quinta-feira, 28 de junho de 2012

Assembleia olé, assembleia olé, assembleia olé!

A sessão da Assembleia Municipal de Aveiro, marcada para ontem, dia 27 de Junho de 2012, não se realizou por falta de quórum. Por coincidência, ao mesmo tempo jogava-se a meia-final do campeonato da Europa de futebol entre Espanha e Portugal.
À hora da chamada encontravam-se na sala apenas os dois deputados do Bloco de Esquerda e quatro dos onze do Partido Socialista. Todos os deputados do PSD, todos os deputados do CDS e o único deputado do PCP faltaram. Até o próprio presidente da Câmara, Élio Maia, e o presidente da Mesa da Assembleia, Capão Filipe, faltaram. Eu ia dizer que todos eles deviam tirar uma ilação clara do que aconteceu, mas quem o deve fazer mesmo são os aveirenses e os eleitores.
Substituir trabalho político agendado pelo visionamento de um jogo de futebol não é apenas grave, como revela uma total falta de responsabilidade e de respeito para com os cidadãos. Ainda mais numa altura em que tudo está mais do que atrasado na Assembleia. A primeira sessão de Junho terá que começar, aliás, sem a de Abril estar concluída, revelando também uma total falta de competência do CDS na presidência. Faltam discutir vários regulamentos, compromissos plurianuais e até uma Revisão Orçamental, mas para a maior parte dos políticos nada disto interessa quando joga a selecção.
A direita, e também o PCP, têm-me desiludido muito na sua relação com o futebol no concelho de Aveiro, mas admito que disto não estava mesmo à espera. Não é só mau, é uma vergonha, e é por causa de situações deste baixo nível que os cidadãos se vão afastando da política e dos políticos. Por favor, acreditem que não são todos iguais...
O mais irónico disto é que os partidos cujos deputados faltaram em massa, são precisamente aqueles que estão a exigir esforços enormes aos portugueses em nome duma crise que eles próprios criaram. Quem é que tem o direito de pedir um esforço que seja quando nem sequer é capaz de abdicar dum jogo televisionado num dia de trabalho político? Pois é...

Sem comentários: