quinta-feira, 8 de março de 2012

porque é que os aveirenses pagam cada vez mais pela água das suas torneiras?

A resposta, infelizmente, é fácil. Pagam mais porque se instalaram interesses privados na venda da água, e portanto esta passou a ser alvo da especulação, numa lógica de mercado, como o é outra mercadoria qualquer. O problema é que a água não é uma mercadoria qualquer. É, isso sim, um recurso natural que pertence a todos e ao qual todos, independentemente do seu estrato económico, deviam ter direito.
Na região de Aveiro, a água é actualmente captada pela Associação de Municípios do Carvoeiro - Vouga (AMCV), com Águeda, Albergaria-a-Velha, Aveiro, Estarreja, Ílhavo e Murtosa, à qual actualmente se estão a juntar os municípios de Vagos e Oliveira do Bairro. Esta associação, criada em 1986 com dinheiros públicos, está no entanto concessionada à Àguas do Vouga SA, cujo total do capital pertence à empresa Aquapor Serviços. Confusos?! Eu simplifico: na prática, quem ganha dinheiro com a captação pública da água no Carvoeiro é a Aquapor Serviços. Tão simples quanto isto.
Entretanto, como é do conhecimento geral, a distribuição de água no concelho de Aveiro já não é feita pelos serviços municipalizados, mas sim pela AdRA – Águas da Região de Aveiro, S.A., um empresa com 51% da Águas de Portugal e 49% de municípios diversos.
A água captada pelo sistema do Carvoeiro é que fornece a AdRA, ou seja, a AdRA paga à Associação de Municípios do Carvoeiro que, por sua vez, está concessionada à Águas do Vouga, cujo dinheiro acaba todinho na... Aquapor Serviços.
Todinho e mais algum, já que os investimentos na modernização da captação de água continuam a ser públicos, ou seja, com o dinheiro de todos nós que trabalhamos, bebemos água e tomamos banho. Por exemplo, o próximo investimento, que será de 30,4 milhões de euros, será co-financiado pelo programa europeu POVT em 16,84 milhões de euros e o resto em adiantamentos aos vários municípios por parte da concessionária. Tudo dinheiro público, portanto. O mais interessante é que a AMCV, devido a este investimento, já fez saber que o preço das tarifas da Adra terá que aumentar novamente, desta vez 4,6%, passando de 2,86 euros para 2,99 euros por metro cúbico.
Um investimento com dinheiro público vai provocar um aumento na água que esse próprio público paga. Não faz sentido nenhum, a não ser que se concorde com este roubo legalizado que acaba todo nos cofres da Aquapor Serviços.
Em tempo útil, o Bloco de Esquerda em Aveiro solicitou ao município que saísse da Adra, e avisou para a mascarada privatização da água em Aveiro e no país. PS, PSD e CDS votaram contra. Agora é isto.

Sem comentários: