quinta-feira, 26 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 12)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Protecção contra claúsulas bancárias abusivas

sábado, 21 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 11)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Combate ao insucesso escolar

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 10)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Contrato pelo Emprego

terça-feira, 17 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 9)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Taxar as transferências para offshores

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 8)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Combater a corrupção

sexta-feira, 13 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 7)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Salvar o Serviço Nacional de Saúde

quarta-feira, 11 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 6)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Cativação das mais-valias urbanísticas

terça-feira, 10 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 5)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Renegociar as Parcerias

cinco verdades sobre o FMI e Portugal

1] O Bloco De Esquerda fez uma moção de Censura ao Governo pelo único motivo que justifica uma moção de censura: o governo PS não estava a respeitar o seu próprio programa eleitoral, ou seja, não estava a fazer aquilo para que tinha sido eleito e com isso a situação económica portuguesa estava a afundar-se.

2] PS, PSD e CDS acusaram o Bloco de querer dissolver o Governo numa altura crítica para o país e votaram contra a moção, mas uma semana depois foram eles próprios (PSD e CDS) a deixar cair o governo quando votaram contra o PEC IV na Assembleia da República. Afinal, ao contrário do que diziam, o Governo podia cair.

3] Depois de votarem contra o PEC IV, CDS e PSD foram os primeiros a reunirem-se com o FMI e a comprometerem-se com um programa em tudo igual. Esses dois partidos, em conjunto com o PS, têm agora todos o mesmo programa eleitoral: o do FMI.

4] O programa eleitoral do FMI em Portugal é em tudo semelhante ao que se aplicou na Grécia e na Irlanda, com resultados desastrosos para as populações e para a própria Economia dos Estados. O FMI só interessa à Banca, não interessa a mais ninguém. A única forma de o travar é votar contra os partidos que estão reféns dessa Banca.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 4)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Agricultura Contra o Endividamento

quinta-feira, 5 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 3)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Refundação da Segurança Social

quarta-feira, 4 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 2)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Três programas para criar emprego

terça-feira, 3 de maio de 2011

propostas para a alternativa à austeridade (proposta 1)

20 dias, 20 propostas do Bloco de Esquerda para contornar a austeridade e o FMI
Reforma da Tributação sobre a propriedade