quarta-feira, 19 de maio de 2010

a necessidade da intermunicipalização dos transportes públicos em Aveiro

Essencialmente por motivos sociais e ambientais, impõe-se com urgência uma nova e corajosa visão para a política de mobilidade na região de Aveiro. A primeira dessas urgências é o crescimento no transporte colectivo em detrimento do individual, e a coragem necessária passa por perceber que só investindo primeiro no serviço público é que se conseguirá diminuir efectivamente a necessidade do automóvel.
Ao mesmo tempo, é óbvio que essa necessidade actual de mobilidade dos cidadãos passa em larga escala o nosso bairro ou quintal, sendo por isso primordial o consenso entre municípios vizinhos nesta matéria.
Os concelhos de Aveiro e de Ílhavo são neste momento o melhor exemplo desta realidade, vivendo neles milhares de cidadãos que dividem o seu quotidiano por todo o território. No entanto, as suas pretensões legítimas têm esbarrado na cegueira das suas câmaras municipais que nunca adoptaram uma estratégia para intermunicipalizar os transportes. Na Assembleia Municipal de Aveiro, foi-me mesmo sugerido pelo próprio executivo que o problema se mantém porque essas câmaras não se entendem, o que é estranho dado que por coincidência há mais de quatro anos que as duas são geridas pelo mesmo partido: o PSD.
A conclusão é fácil: o Partido Social Democrata não é capaz de cumprir uma única linha política para a mobilidade.
Os transportes públicos são, em primeiro lugar, um dos factores mais importantes no combate às injustiças sociais, contribuindo definitivamente para que todos os cidadãos, independentemente do seu estrato económico, tenham acesso às mesmas oportunidades profissionais e a toda a oferta de âmbito cultural da pólis. São também uma forma de embaratecer e optimizar a sua mobilidade, com menos custos para o ambiente e para o orçamento de cada família.
Há muito que se percebe a ansiedade da Câmara Municipal de Aveiro na privatização da MoveAveiro. É mais um erro crasso na História recente do concelho: perder o controle público dum serviço essencial para todos. A existência de uma rede de transportes públicos tendencialmente gratuitos, com uma lógica intermodal e intermunicipal é uma das urgências de Aveiro... mas as câmaras sociais-democratas não conseguem fazê-lo.

Sem comentários: