terça-feira, 25 de maio de 2010

a crise em cinco passos...

1] Esta crise começou por causa do subprime, ou seja, bancos e agências de crédito, essencialmente nos EUA, que emprestaram dinheiro a quem não podia pagar. 

2] Esses empréstimos tornaram-se em produtos financeiros de alta rentabilidade devido à classificação AAA das agências de rating, que eram pagas precisamente por quem os queria vender. 

3] Como apesar do nome pomposo, "produto financeiro de alta rentabilidade", os créditos sem cobrança efectiva rapidamente baixaram de valor e passaram a chamar-se "produtos tóxicos", os bancos e agências de crédito ficaram à beira da falência.

4] Com o medo que as pessoas todas começassem a tirar o seu dinheiro dos bancos, os governos, incluindo o português, injectaram quantias astronómicas de dinheiro nesses bancos e para isso endividaram-se até aos cabelos. 

5] Agora os Estados desses governos, incluindo o português, não conseguem pagar essas dívidas e as agências de rating baixaram a sua classificação.

4 comentários:

Ana Soares da Motta disse...

Ivar, não sumarizaria melhor. Simples, conciso e directo.

Gostaria muito de enfatizar o "Simples" e como isso tem impacto do lado de quem nos ouve.
Há uma grande massa populacional que nem sequer perde tempo com política porque "não percebem nada disso".
A ainda elevada taxa de nenhuma ou baixa literacia em Portugal faz com que o povo se distancie e viva alienado da realidade política.

Se todos falassem como tu...

bagaco amarelo disse...

ana, sim, simplificar ajuda a concretizar as coisas e de facto isso não interessa a quase ninguém. Esta crise é um forma de roubar os trabalhadores e contribuintes de forma legalizada e isso não interessa que se perceba. :)

ArimotoKiKa disse...

É exactamente o que eu penso, o que a Ana comentou acima.

As pessoas menos instruídas vivem aquém de tudo o que se passa e caem facilmente em conversa de "chacha".
Toda a gente fala da crise, mas poucos sabem realmente o que se passou. E tenho muita pena porque se pudessemos explicar a essas pessoas o que realmente está a acontecer, eu acredito que alguma coisa mudaria...

O que eu queria mesmo... era uma revolução! Este país precisa de um valente abanão! Mas o problema é o comodismo deste povo:

"Vive-se" "É a vida" "Assim Deus quis"... Mas não é Deus que nos vai sustentar, pois não?

bagaco amarelo disse...

ArimotoKiKa, eu concordo com o que dizes. A Revolução não pode é ser só neste país. Por falar na crise, tem que ser mesmo no mundo inteiro. Mas tem que começar em algum lado... :)