quinta-feira, 26 de novembro de 2009

pcp, psd e cds... tão amigos que eles são...



Gostava de realçar, tal como fez um deputado do PSD na Assembleia Municipal de Aveiro ontem realizada, que o PCP está de acordo com um projecto fiscal feito pelos partidos da direita. O deputado do PCP (que ao contrário da sessão anterior não abandonou a Assembleia antes do primeiro ponto agendado), de facto pareceu não querer combater a actual especulação imobiliária que o pacote permite e foi o único partido que se juntou à direita (PSD e CDS) votando favoravelmente o mesmo. A bancada do PS absteve-se e o Bloco de Esquerda votou contra.

O pacote fiscal apresentado diz que cumpre uma preocupação social ao descer o IMI em cinco freguesias rurais do concelho, ou seja, para estes partidos o apoio social começa por se fazer junto de proprietários e não junto de quem é pobre. Pior ainda é este argumento não ser mais do que uma falácia, já que o valor é irrisório. O que esta medida vai permitir, isso sim, é que a construção e a especulação imobiliária nas zonas rurais aumente.

Mais ainda, se não me espanta que a direita considere que uma habitação degradada cria “uma área de influência de má vizinhança colocando em perigo a segurança de pessoas e bens”, espanta-me que um partido que se diz de esquerda assine este preconceito por baixo, ou seja, para o PCP não interessa que as pessoas vivam em más condições, o que interessa é que as pessoas que vivem em más condições se tornam perigosas.

Direitices do PCP à parte, mais cómica ainda foi a intervenção do deputado municipal do Partido Socialista João Barbosa sobre o ponto agendado para discutir este pacote fiscal, em que se limitou a aconselhar os aveirenses a comprar um kit de salvamento do... Beira-Mar. Pois é... Eia avante, rapaziada!

Já agora, e a propósito do início desta Assembleia Ordinária, repare-se no seguinte na noticia do Diário de Aveiro (clicar na imagem para ler). O debate fez-se essencialmente entre o PS e o PSD, diz o jornal, mas apenas destaca as intervenções do Bloco de Esquerda. Intervenções clínicas?